//
Artefatos Scrum

Os artefatos do Scrum incluem o Backlog, o Burndown, e o Taskboard.

Muitas referências sobre o Scrum não começam detalhando os artefatos, eu preferi assim para que logo no início se entenda a importância destes três elementos, e as suas funções dentro do fluxo Scrum.

___________________________________________________________________________
Backlog

O Backlog é nada mais nada menos do que os requisitos do produto que precisa ser entregue, bem como todo o entendimento necessário para se atender aos requisitos, produzir funcionalidades e por fim entregar um produto.

Em resumo é uma lista de todas as características, funções, tecnologias, melhorias e correções que constituem a versão futura do produto.

O responsável pelo Backlog é o Product Owner (PO). O PO é o responsável por manter o Backlog do produto, principalmente por que este é um documento vivo, e nunca estará completo, pois o Backlog evolui à medida que o produto e o ambiente que ele será usado evoluem.

É preciso ter em mente que o Backlog é dinâmico, no sentido de que ele está constantemente mudando para identificar o que o produto necessita para ser apropriado, competitivo e útil, e lembre-se: Enquanto existir um produto, o Backlog deste produto também existirá.

Dica: O Backlog é fruto do entendimento do produto e do negócio do cliente, análises de negócio são muito bem vindas para a obtenção de um Backlog completo, e documentos auxiliares que podem compor o Backlog são: Estórias, Protótipos, Especificações de regras de negócio e Casos de uso.

O Backlog é dividido em duas partes, o Backlog do produto (Product Backlog) e o Backlog da Sprint (Sprint Backlog). Vamos saber como identificar cada um deles:

___________________________________________________________________________
1.
Product Backlog

É o conjunto de requisitos de todo o produto, ou seja, o Backlog do produto representa tudo que é necessário para desenvolver e lançar um produto completo, e representa o produto final que será entregue após a execução do projeto.

O Product Backlog geralmente é separado em itens de backlog. Os itens de Backlog devem ter seu tamanho estimado, frequentemente definidos como Story Points. Estas estimativas devem ser realizadas pelo Time.

Os itens do Backlog do Produto também precisam ser priorizados, tendo em mente que os mais prioritários devem ser os itens que mais agregam valor ao produto do cliente. Esta priorização deve ser realizada pelo Product Owner, e deve estar clara e visível para todos do Time.

___________________________________________________________________________
2.
Sprint Backlog

É o conjunto de requisitos contidos no objetivo de uma Sprint, ou seja, o Backlog da Sprint representa tudo que é necessário para desenvolver e/ou entregar uma parte do produto, definido como objetivo de uma Sprint. Todo o conteúdo do Backlog da Sprint deve estar contido dentro do Backlog do Produto, e as primeiras Sprints devem conter sempre os itens do Backlog mais prioritários e críticos para o sucesso do produto.

Somente os itens do Backlog da Sprint são decompostos em tarefas menores, para que possam ser realizados dentro da Sprint, e recebem uma estimativa de conclusão em horas. O ideal é que estas tarefas tenham um tamanho de no máximo 8 horas, para que possam ser realizadas dentro de 1 (um) dia contido na Sprint.

Dica: Tanto o Product Backlog quanto o Sprint Backlog são geralmente representados como Estórias do Usuário, ou User Stories.

___________________________________________________________________________
3.
Estórias

É uma descrição resumida, porém clara e objetiva, de alguma funcionalidade que deverá ser fornecida pelo produto a ser entregue, sempre do ponto de vista do usuário final do produto.

Uma estória não se trata de uma especificação completa de uma funcionalidade, mas sim uma promessa de se discutir uma funcionalidade, ou simplesmente um lembrete de que a discussão já aconteceu. 

As estórias devem ser curtas e objetivas, para que caibam em um post it como estes ilustrados acima. Um modelo simples de como escrever uma história seria:

“Como um <tipo de usuário>, eu quero <um objetivo> para que <atenda uma necessidade>.”

Exemplos:

  • “Como um comprador, eu quero consultar livros para que eu possa escolher qual comprar.”
  • “Como um vendedor, eu quero cadastrar livros para que eu possa vendê-los.”

Dica: Escreva as estórias com uma linguagem do cliente, e não técnica. Como complemento ao entendimento das estórias o Product Owner pode produzir especificações de regras de negócio, protótipos ou casos de uso.

___________________________________________________________________________
Burndown

O gráfico de Burndown representa visualmente a soma das estimativas dos esforços restantes do Backlog, permitindo também uma comparação com os atuais trabalhos realizados.

Acompanhando o Backlog, o gráfico de Burndown também possui duas visualizações, o Burndown da versão de entrega, ou Burndown do produto, e o Burndown da Sprint.

Vamos entender as suas diferenças.

___________________________________________________________________________
1.
Burndown do Produto

É o gráfico que registra a soma dos esforços restantes do Backlog do Produto ao longo do tempo. O esforço estimado pode estar em qualquer unidade de medida que o Time entenda, mas geralmente para o Burndown do Produto a unidade de medida são Sprints.

Dica: Tanto o Backlog do Produto quanto o Burndown do Produto devem ser mantidos pelo Product Owner e publicados o tempo todo. Uma linha de tendência e de trabalhos realizados pode ser traçada baseada na mudança do trabalho restante.

___________________________________________________________________________
 2.
Burndown da Sprint

É o gráfico que representa a quantidade restante de trabalho do Backlog da Sprint, ao longo dos dias de duração da Sprint. O esforço estimado pode estar em qualquer unidade de medida que o Time entenda, mas geralmente para o Burndown da Sprint a unidade de medida são Horas.

Para montar este gráfico, determine quanto trabalho resta somando as estimativas dos itens de Backlog a cada dia da Sprint, e a quantidade de trabalho restante para uma Sprint é a soma do trabalho restante para tudo do Backlog da Sprint.

Dica: Acompanhe essas somas diariamente e utilize-as para criar um gráfico que mostre a evolução dos trabalhos de forma simples, e o trabalho restante ao longo do tempo. O Time pode marcar estas somas diárias no gráfico e traçar uma linha através dos pontos, acompanhando seu progresso na Sprint.

___________________________________________________________________________
Taskboard

O Taskboard, ou Quadro de Tarefas, não aparece originalmente como artefato no Guia do Scrum, de Ken Schwaber, mas é sem dúvida uma ferramenta fundamental ao lado do Backlog e do Burndown. 

O Taskboard nada mais é do que é um quadro, ou uma parede mesmo, onde o Time coloca as tarefas do Backlog, em post its, de uma forma organizada e ordenada. O objetivo é para que visualmente se entenda rapidamente e claramente como o trabalho está.

Geralmente as divisões são feitas em 4 (quatro) colunas: Estórias, Fazer, Fazendo e Feito, nesta mesma ordem.

Na primeira coluna devem estar as Estórias identificadas no Backlog, e nas demais a sua direita, as tarefas contidas dentro de cada estória. As tarefas que não estão sendo trabalhadas devem estar na coluna “Fazer“, quando alguém estiver trabalhando em uma tarefa, esta deve estar na coluna “Fazendo“, e quando a mesma tarefa estiver pronta, deverá ir para a coluna “Feito“.

É super simples não é? É simples mesmo e muito eficiente. O efeito visual gera impactos em todos que acompanham o quadro, além de deixar claro para todos quais tarefas estão sendo trabalhadas, e até quantas pessoas estão trabalhando.

Além do modelo mostrado, o Quadro de Tarefas pode conter colunas para testes de qualidade, e tarefas não previstas. Não se prenda a padrões, experimente e descubra o que é melhor para o seu Time.

Dica: Coloque acima dos títulos das colunas a capacidade do Time que está realizando as tarefas do Taskboard, com isso será possível saber quem está trabalhando e quem está parado só de olhar os post its e a capacidade do Time.

Dica: Utilize cores diferentes para as estórias, para as tarefas normais, para testes e para as tarefas não previstas. Isso ajudará muito na identificação de impedimentos ou desvios.

___________________________________________________________________________
Super Dica

Não se preocupe agora em assimilar totalmente, e entender perfeitamente como funcionam todos os artefatos acima. Não se preocupe também neste momento em aplicá-los imediatamente.

Ao longo dos próximos tópicos e quando estivermos falando do ciclo e do fluxo Scrum, você entenderá bem melhor qual o papel de cada ferramenta e como cada uma funciona, e ai sim poderá aplicá-las em seus projetos.

___________________________________________________________________________
Introdução | Papéis e responsabilidades | Artefatos Scrum | Planejamento da Versão da Entrega | Sprint | Planejamento da Sprint
Estimativas | Reunião Diária – Daily Meeting | Revisão da Sprint – Review | Retrospectiva da Sprint | Manifesto Ágil

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

fabio cruz no twitter

Categorias

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 10 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: